25.1 C
Rondonópolis
segunda-feira, abril 15, 2024

Buy now

“Beatle” do Estado Islâmico é acusado de terrorismo no Reino Unido

Suspeito de integrar um grupo de sequestradores do Estado Islâmico (EI) apelidado de “Beatles”, Aine Leslie Davis, foi acusado hoje (11) de vários crimes terroristas, após ser detido quando chegava ao Reino Unido, informou a polícia britânica.

Davis, de 38 anos, foi preso no aeroporto de Luton, ao chegar da Turquia, e deve ser levado ao Tribunal de Westminster ainda hoje, disse a Scotland Yard em comunicado.

Detido na Turquia em novembro de 2015, Davis estava preso por atos de terrorismo.

A célula do EI, especializada na captura, tortura e execução de reféns ocidentais, era apelidada pelos reféns com o nome do grupo musical devido ao sotaque britânico.

Os quatro membros da célula são acusados de terem sequestrado pelo menos 27 jornalistas e trabalhadores humanitários dos Estados Unidos (EUA), do Reino Unido, da Europa, da Nova Zelândia, Rússia e do Japão.

jornalistas e trabalhadores humanitários dos Estados Unidos sequestrados

Em abril, Alexanda Kotey, outro membro dos Beatles, foi condenado à prisão perpétua por um tribunal federal dos EUA pela morte de quatro reféns norte-americanos na Síria.

Também integrante do grupo, El Shafee el-Sheikh, preso juntamente com Kotey pelas forças curdas sírias em 2018, foi condenado em abril e aguarda sentença.

Ele foi considerado culpado pela participação na captura e morte dos jornalistas James Foley e Steven Sotloff, em 2014, e de Peter Kassig e Kayla Mueller, que faziam trabalho humanitário.

Os dois integrantes do Estado Islâmico foram extraditados do Iraque para os EUA em outubro de 2020, para serem julgados pela Justiça norte-americana.

El Shafee el-Sheikh enfrenta pena de prisão perpétua, mas a sentença ainda não foi anunciada. 

O quarto membro dos Beatles, Mohamed Emwazi, teria sido morto por um drone americano na Síria, em 2015.

Em 2014, Amal El-Wahabi, esposa de Aine Leslie Davis, tornou-se a primeira pessoa no Reino Unido a ser condenada por financiar o Estado Islâmico, após ter tentado enviar 20 mil euros para o marido, na Síria.

Durante o julgamento de El-Wahabi, que terminou com a condenação a dois anos e quatro meses de prisão, Davis foi considerado traficante de droga, antes de partir para a Síria.

AGENCIA BRASIL

Artigos relacionados

- Advertisement -spot_img

Últimas Notícias