22 C
Rondonópolis
terça-feira, março 5, 2024

Buy now

Lula e Bolsonaro vão disputar 2º turno

facebook
twitter
instagram
Bolsonaro e Lula durante debate na TV Globo

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e o atual presidente, Jair Bolsonaro (PL), decidirão em 30 de outubro quem irá governar o Brasil a partir de janeiro de 2022. Os dois foram os mais votados neste primeiro turno das eleições 2022 , segundo os dados divulgados pelo TSE (Tribunal Superior Eleitoral) na noite de hoje.

Lula terminou com 47,84% votos e Bolsonaro, 43,71% após mais de 96% dos votos apurados. Apesar de uma expectativa por parte dos petistas de uma possível vitória no primeiro turno, a eleição será decidida em 30 de outubro. O vencedor irá comandar o país por ao menos quatro anos, até o fim de 2026.

Bolsonaro começou a apuração em primeiro lugar e com uma vantagem de cerca de sete pontos sobre Lula, mas o petista virou a disputa  e conseguiu terminar em primeiro com uma vantagem de mais de 4 milhões de votos.

A decepção novamente foi Ciro Gomes (PDT), que terminou em quarto lugar, atrás da senadora Simone Tebet (MDB), uma das surpresas do pleito. Ciro teve 3,06% dos votos e Tebet, 4,26%. Votos brancos somaram 1,60% e nulos, 2,80%.

Desde a redemocratização, essa é a nona eleição . Em todas as vezes, o presidente em exercício que tentou a reeleição terminou eleito. Outro dado histórico. Como apontou o iG , os líderes nas pesquisas sempre terminaram eleitos.

Desde o começo da campanha, em 16 de agosto, Lula aparecia em primeiro lugar nas pesquisas eleitorais. O ex-presidente conseguiu reunir em sua campanha nomes que eram adversários em eleições passadas, como o seu candidato a vice, Geraldo Alckmin, Marina Silva, e desafetos do impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff. Além deles, Lula teve o apoio do ex-ministro Joaquim Barbosa.

Bolsonaro apostou todas as suas fichas na prorrogação do Auxílio-Brasil e em uma melhora da economia. Na abertura da Assembleia Geral da ONU, o presidente usou seu discurso para atacar seu concorrente, como fez nos debates ao chamá-lo de presidiário. Apesar disso, ele nunca conseguiu uma grande recuperação nas pesquisas. Seu discurso contra as urnas e colocando em dúvida o sistema eleitoral tampouco deu resultado para além do seu grupo de seguidores. Os constantes ataques contra o ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Alexandre de Moraes também não surtiram efeito nas urnas.

FONTE IG notícias

Artigos relacionados

- Advertisement -spot_img

Últimas Notícias