23.4 C
Rondonópolis
domingo, março 3, 2024

Buy now

Município e Poder Judiciário discutem formação de professores para programa de Construção de Paz nas Escolas

O prefeito José Carlos do Pátio participou de uma reunião com o juiz da 1ª Vara de Família e Sucessões de Rondonópolis e coordenador do Cejusc (Centro Judiciário de Solução de Conflitos e Cidadania), Wanderlei José dos Reis, e a secretária de Educação, Mara Gleibe. O encontro aconteceu na última quarta-feira (25) e teve como objetivo discutir a formação de professores e supervisores do Programa Municipal de Práticas de Construção de Paz nas Escolas. 

Durante a reunião, Mara Gleibe, ressaltou a importância dessa formação para o município e para as escolas. Ela destacou que o conhecimento sobre os círculos da paz contribuirá para melhorar o relacionamento entre alunos e professores, trazendo mais qualidade e harmonia para a comunidade escolar. “A formação está prevista para acontecer no início de 2024 e seguir até março, quando mais de 50 profissionais estarão formados”, disse a secretária.  

Pátio parabenizou o juiz Wanderlei pela iniciativa de desenvolver o programa de formação de facilitadores. Ele também elogiou a desembargadora Clarice Claudino, presidente do Tribunal de Justiça de Mato Grosso, por apoiar essa iniciativa. O prefeito ressaltou a importância de realizar o curso através do município, pois a Semed está mais próxima das escolas e dos alunos, o que facilitará a aplicação dos conhecimentos adquiridos. 

O magistrado Wanderlei José dos Reis, destacou a importância de promover um ambiente escolar de paz e conforto. “Diante de qualquer problema, os profissionais capacitados estarão aptos a mediar de forma correta e assertiva, utilizando o diálogo para o restabelecimento da paz”, disse. 

A formação dos professores e supervisores sobre os círculos de construção de paz é uma iniciativa importante para promover um ambiente escolar mais harmonioso e respeitoso. O programa prevê a capacitação de profissionais voluntários para agir quando houver conflitos, discriminação racial, bullying ou qualquer tipo de violência. Com o conhecimento adquirido, os profissionais poderão aplicar técnicas e estratégias que contribuirão para a resolução pacífica de conflitos e para o fortalecimento dos vínculos entre alunos, professores e toda a comunidade escolar.

Fonte: Franciele Gonçalves – Gcom

Artigos relacionados

- Advertisement -spot_img

Últimas Notícias