35.4 C
Rondonópolis
sábado, maio 18, 2024

Buy now

Dois grupos da habitação estão nos bairros recebendo documentos

A Prefeitura está fazendo cadastramento das famílias do Parque Universitário, Jardim Ipanema e área do Goiano para dar entrada em mais processos de regularização fundiária. Somente nesses locais, devem ser beneficiadas com escrituras mais cerca de 650 famílias. A economia para legalizar o residencial será de cerca de R$ 15 mil por unidade. 

O atendimento está sendo feito por equipes da Secretaria Municipal de Habitação e Urbanismo em dois locais. No caso do Parque Universitário, os moradores da região devem ir no Oratório Dom Bosco. Na região do Ipanema, o atendimento é no salão de Cabeleireiro Kaza Grande. Os moradores devem levar documentos pessoais e todos os documentos referentes à moradia que desejam regularizar. 

Na região do Parque Universitário, são contemplados, neste etapa, os que compraram as áreas da antiga Imobiliária Big. A maioria dos moradores é de idosos já aposentados. Alguns dos compradores até já faleceram e repassaram as casas para os filhos. 

“A maioria as pessoas é de baixa renda e não teria como regularizar a moradia com recursos próprios”, destaca a gerente de Regularização Fundiária Urbana, Maristela Moraes da Silva. O atendimento acontecerá até o final deste mês. 

Segundo a gerente, esta é a primeira etapa do processo, em seguida, será feito o levantamento dos documentos no cartório, seguida da vistoria pela equipe de assistentes sociais da Secretaria de Habitação do município para ser montado o processo, que segue para o Intermat (Instituto de Terras de Mato Grosso). 

NO INTERMAT

Segundo Maristela, o município está na expectativa de entrega de 150 escrituras, cujos processos estão em fase final no Intermat. Eles têm como destinatários, famílias da Vila Amizade e do bairro Boa Esperança. 

Outro cadastramento foi feito na região da Vila Operária, nos bairros Padre Rodolfo, Dom Oscar Romero e Vila Poroxo, que somam mais 300 processos conclusos para serem encaminhados ao órgão, para validação e posterior confecção das escrituras.

Fonte: Patrícia Casali – Gcom

Artigos relacionados

- Advertisement -spot_img

Últimas Notícias