35.1 C
Rondonópolis
terça-feira, junho 18, 2024

Buy now

Sem salários, médicos ameaçam suspender atendimento na Santa Casa

Médicos ameaçam uma possível paralisação por falta de pagamento de salário no Hospital Estadual Santa Casa de Cuiabá. A unidade é administrada pela Secretaria de Estado de Saúde (SES-MT) desde 2019.

Na última sexta-feira (26), membros da diretoria do Conselho Regional de Medicina de Mato Grosso (CRM-MT) se reuniram com o deputado Faissal Calil (Cidadania), integrante da Comissão de Saúde da Assembleia Legislativa (ALMT) para pedir providências.

No encontro, o presidente da autarquia, Diogo Sampaio, lembrou que a pasta tem descumprido um acordo para normatizar os processos de pagamento e dar agilidade aos repasses.

Segundo ele, a situação pode gerar a paralisação no atendimento à população na unidade. “Estamos pedindo o apoio dos parlamentares, mostrando o real problema que acontece e tentando solucionar essa situação o mais rápido possível Não é possível ter que ficar pedindo, mendigando pagamento de médico. Isso é inadmissível. A população não merece isso”, acrescentou.

Sampaio destacou que a autarquia realizou uma fiscalização no Hospital Estadual Santa Casa de Cuiabá e constatou problemas sérios que podem comprometer a assistência à população. “Além disso, há um atraso no pagamento aos médicos desde o mês de outubro. Os médicos estão insatisfeitos, porque trabalham sem receber. Estamos no final de janeiro discutindo pagamentos de outubro. É de se lamentar como a SES trata o médico mato-grossense”, continuou.

Ele lembrou que no fim do ano passado, o CRM-MT tratou dos problemas relacionados aos repasses com a SES, a Controladoria-Geral do Estado (CGE) e a Agência Brasileira de Apoio à Gestão do Sistema Único de Saúde (AgSUS). O grupo de trabalho normatizou os processos de pagamentos, de forma a dar mais celeridade aos repasses. No entanto, a pasta segue atrasando os pagamentos aos médicos. “O CRM tomará todas as medidas que cabem legalmente à autarquia para garantir a dignidade do médico e o bom atendimento à população”, disse. 

Faissal reconheceu a gravidade da situação e classificou a postura da gestão estadual como desrespeitosa. O parlamentar afirmou que o não pagamento aos médicos do Hospital Estadual Santa Casa de Cuiabá gera um grande constrangimento. Ele se comprometeu a tomar providências para fazer com que a SES regularize a situação e que isso não se repita.

“Se o governo não pagar, os serviços vão parar e quem vai ser prejudicado é a população. Acolhemos as reivindicações do Conselho para que isso não aconteça e que a gente evite um transtorno maior lá na frente, principalmente em Mato Grosso que tem um orçamento gigantesco e dinheiro em conta”, finalizou o deputado.

Fonte: Gazeta Digital

Artigos relacionados

- Advertisement -spot_img

Últimas Notícias